Naviera Armas

Su navegador web no está actualizado.

Está utilizando un navegador obsoleto que no es compatible con el portal web de Naviera Armas.

Algunas funciones no estarán disponibles. Navegadores recomendados:

Firefox Gogle Chrome Internet Explorer

Historia

  • Astelena
    Astelena
    1941 - 1979
  • Diana
    Diana
    1947 - 1972
  • Lanestosa
    Lanestosa
    1961 - 1970
  • Antonio Armas
    Antonio Armas
    1966 - 1982
  • Volcán de Yaiza
    Volcán de Yaiza
    1973 - 1995
  • Puente Canario
    Puente Canario
    1981 - 1993
  • Volcán de Teneguía
    Volcán de Teneguía
    1992

A Naviera Armas nasceu em 1941 e converteu-se na companhia de navegação mais importante das Canárias. Contou com mais de cinquenta navios ao longo das suas diferentes etapas. Tem as suas origens em Lanzarote, com o esforço de Antonio Armas Curbelo, que iniciou a sua caminhada com barcos de casco de madeira, com veleiros puros e motoveleiros, e nomes legendários no historial da cabotagem das ilhas dedicados ao tráfego salineiro e de carga. A Armas Curbelo incorporou posteriormente na sua frota navios de casco de aço e propulsão a diesel e máquinas de vapor, com os quais expandiu a sua actividade comercial para fora das fronteiras insulares, ganhando protagonismo na antiga província do Sara espanhol.

O testemunho deste empresário foi recolhido pelo seu filho Antonio Armas Fernández, actual presidente da empresa. Conhecedor das novas tendências no sector, deve-se à sua iniciativa a introdução dos primeiros navios de carga ro-ro nas Canárias. Esta etapa teve início em 1975, com a aquisição de dois barcos menores de trb, que navegaram nas linhas inter-insulares com os nomes de Volcán de Yaiza e Volcán de Tahíche.

A partir de 1995 verificou-se uma alteração significativa na estratégia da empresa, quando a mesma se decidiu introduzir no mercado dos navios de carga e passagem. Incorporou os novos ferrys construídos em Vigo - Volcán de Tauz e Volcán de Tejeda - que depois deram passagem a uma renovação de meios, de acordo com o Plano de Frota de 2003/2006.

A construção de quatro unidades, baptizadas com nomes de vulcões canarinos: o Volcán de Tindaya que efectua a travessia Playa Blanca (Lanzarote) – Corralejo (Fuerteventura) 14 vezes por dia; o Volcán de Tamasite que liga Las Palmas (Gran Canaria) a Morrojable (Fuerteventura) 2 vezes por dia; o Volcán de Timanfaya que liga Tenerife/Gran Canaria a Lanzarote 7 vezes por semana; e por último, o Volcán de Taburiente que ligará as ilhas mais ocidentais, Tenerife a La Gomera e El Hierro, que tem aparelhado um investimento extraordinário e representa um salto qualitativo importante, dado que se trata de navios de última geração, que contribuem para colocar a Canárias no primeiro lugar regional de comunicações marítimas na Europa.

Call Centre - 902 456 500